segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Estar de Volta!

Estou aqui, estou aqui de onde nunca parti!
O silencio fez parte de mim nestes últimos tempos, mas estive sempre presente, atenta e maravilhada com os textos que fui saboreando por aqui neste mundo da blog esfera. É um mundo de sentimentos exprimidos com classe, de uma perfeição inquestionavel..
Não sei se alguém deu pela minha ausência, se isso aconteceu fico feliz, senão fico feliz na mesma :). A vida é mesmo assim....
Estou aqui, estou de volta!

domingo, 21 de março de 2010

A Primavera chegou...



A Primavera é a estação do ano que segue o Inverno e precede o Verão. É tipicamente associada ao florescimento da flora e da fauna terrestre.


A Primavera é a minha estação do ano favorita!

Hoje o sol anunciou-se ao acaso, tingiu o céu de tom rosado, os pássaros cruzaram os ares , revoada de pardais e andorinhas num belo e magistral bailado. As águas do regato cantarolavam num combinado ritmo de melodia que se ouvia através do bosque no colorido de todas as flores, margaridas, lírios, papoilas, girassóis e orquídeas. As cigarras silenciaram em respeito à sua nobre chegada, és a rainha, a mais bela das estações, és inspiradora dos grandes amores.


Nada como a Primavera para nos mostrar novos caminhos, nada como a Primavera para nos mostrar outro colorido, o verdadeiro sentido da vida. O que passou, passou, agora é tempo de florescer, crescer, amadurecer. A Primavera leva todas as tristezas e os tempos nebulozos chegou e tomou conta do espaço e das nossas vidas com muito brilho, sol, luz e flores.


terça-feira, 16 de março de 2010

Pedaços de mim


Pedaços de mim que saltam dos trilhos da vida, são como peixes que vagueiam na imensidão azul. Como eu queria essa liberdade, esse ver e sentir, correr loucamente e saltar destes trilhos, perder-me, libertar-me das correntes, atravessar todas as portas e percorrer todos os sonhos.
Hoje o dia está radioso o sol queima. De repente pingas de chuva caem dos céus sobre os raios de sol abrasador. Neste cenário invulgar, mas cada vez mais normal visualizo um almejado. Está tão longe e ao mesmo tempo tão perto esse local encantado...
Em caminhos acessíveis não dá para fazer, no caminho mais curto há muito obstáculos, campos semeados, arvoredos, ribeiros, encostas íngremes... Tenho que dar uma volta, aquela volta para chegar ao local almejado. É um caminho mais longo e ao mesmo tempo mais cómodo, dependendo do ponto de vista, poderá ser o mais difícil... Na vida é assim por vezes deparo-me com caminhos mais longos para atingir um objectivo que aparenta estar ali tão perto, nessa caminhada vou perdendo pedaços de mim, pedaços de liberdade, pedaços de realidade... Na vida o que parece fácil às vezes torna-se difícil, o que parece breve torna-se longo e assim vou percorrendo esses trilhos de campos semeados, arvoredos encantados, encostas íngremes de lugares desejados.
Nesses caminhos sou a dor, o amor e o rancor... Pedaços de mim, traços do meu ser, sentimento e emoção que devassa o meu coração.
Nesses trilhos do destino gostava de passar o meu coração a limpo, começar do zero, sem mágoas, sem feridas, sem a dor do adeus ou simplesmente livre, liberta de tudo o que já foi... Não quero correr atrás das borboletas quero voar com elas, saborear o nectar do sonho e da liberdade viver a vida com intensidade.... Não quero dessistir sem tentar, fugir para não enfrentar, sorrir para não chorar.... Não quero ser feita de sonhos interrompidos, detalhes despercebidos, amores mal resolvidos... gostava de ser um espaço de palavras ditas, escritas ou simplesmente sentidas.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Este desafio foi-me deixado pela Menina do Cantinho e pela minha querida Luz, obrigada minhas queridas, abracei, embora tardiamente, o vosso desafio com todo o carinho e o maior prazer.
As regras que o acompanham são: oferece-lo a 5 blogues (tarefa difícil) e a responder a uns tópicos.
Assim sendo, passo este desafio e o seu selinho a:
Moisacos;
Clipsdevidro;
Tatuagens;
Diário dum pensador;
Sonho em mim;
Átomovida.
As minhas respostas às questões:
Mania: Pensar mais nos outros do que em mim.
Pecado capital: Pensar o que não devo.
Melhor cheiro do Mundo: A brisa do mar.
Se o dinheiro não fosse problema: Existiam outros problemas.
História de Infância: A história do Anjo da Guarda que irá acompanhar-me sempre.
Habilidade na cozinha: De um modo geral tudo, todos os que provam os meus cozinhados adoram, dizem que sou óptima cozinheira :)
Frase preferida: "Não deixes para amanha o que podes fazer hoje, porque não sabemos se haverá amanha."
Esta frase enquadra-se na perfeição em todos os campos da minha vida, não deixar de amar, de ser feliz, de lutar e até de sofrer.
Passeio para o corpo: Longas caminhadas nas noites de Verão à beira mar pela tardinha sob a luz do crepúsculo :).
Passeio para a alma: Longos passeios de carro a conduzir sozinha a ouvir as minhas músicas favoritas, é fabuloso!
O que me irrita: A pobreza mental.
Frases ou palavras que uso muito: "Puxa" " Gostava tanto que fosse diferente".
Palavrão mais usado: Não uso palavrões na minha linguagem.
Talento oculto: Ainda não o descobri, deve ser mesmo muito oculto, heheheheh :)
Não me importa que esteja na moda, eu não usaria nunca: Só uso o que realmente gosto, independentemente que esteja na moda ou não.
Queria ter nascido e saber: Não queria saber nada, porque a vida assim é que faz sentido, torna todos os nossos trilhos uma surpresa constante :).

sábado, 6 de março de 2010

Desejos


As impressões, as sensações, os desejos, os pensamentos e devaneios que permeiam a minha essência e habitam no meu EU, são sentires eternos e autênticos que me possibilitam ser livre e flexível para mudar, descobrir, errar e surpreender-me!!! Um encontro comigo, contigo, connosco e com a vida tal e qual como ela é...surpreendente!

SE eu for interpretar o DESEJO por um prisma oriental, através de um olhar indiano, por exemplo, percebo que o desejo pode ser entendido como uma armadilha que devia ser evitada. Como se o perigo rondasse a alma, o coração as tradições familiares e a harmonia do universo. Em nome do desejo perde-se a razão e o bom senso, isso ninguém pode contestar,considerando que tem alguns que quebram os patamares da dignidade humana, ultrapassando qualquer limite. - Mas, que limite é esse?!!! Algo muito ténue, sugestivo e questionavel.

Não posso impedir que o desejo me invada a alma, como não posso impedir o vento de soprar na imensidão do universo! Quando o meu corpo é invadido por tão fortes sensações fico imóvel, o desejo invade-me, possuí-me, têm-me como refém a minha razão é quase inexistente, somente o desejo existe e persiste. O olhar fica inerte no absurdo infinito e novamente a emoção me invade o coração, não raciocino, preciso saborear cada palavra no teu gesto de magia, no teu tocar intenso, no teu beijo de mel.

Preciso provar cada silêncio no doce respirar em singelos suspiros, cada suave murmurar dos teus lábios. Deliciar o sal do teu corpo com o calor que dele emana, com a paixão que dele profana e beijar somente como quem ama.

Quando amamos alguém, não perdemos só a cabeça, perdemos também o nosso coração. Ele salta para fora do peito e depois, quando volta, já não é o mesmo, é outro, com cicatrizes novas. E outras vezes não volta. Fica do outro lado da vida, na vida de quem não quis ficar ao nosso lado.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O mar dos teus olhos...


Mar que se confunde com um olhar, o azul do cantigo da alegria, da demência da noite e da metáfora da madrugada nas sílabas do vento. Os teus verbos edificam os acentos da paixão, verbos que anseio escutar no ponto do luar. A tua beleza leva-me a sonhar, a desejar o desejo de querer o pecado, a mergulhar num ritual indescritível de sedução e de prazer. Perturba-me, confunde-me, enlouquece-me.
Os teus olhos são a voz do teu corpo, são luzes no farol que me tentam seduzir a ti, um olhar feiticeiro de envolvência que me domina, que fala por ti com toda a entrega e carinho. Os teus olhos dizem coisas que eu quero acreditar. Não sei o que sentimos, talvez um desejo perverso de fazer nossos corpos o universo e tornar real a paixão que pelos gestos e palavras fazes sentir. Sei que és presente, sei que existe uma força que me obriga a dizer "quero-te".
Quero demorar-me, conjugar-te, descobrir-te, entender-te como uma nova rima, um novo verso, perfeito profano partilhado. Puríssimo olhos, puríssima expressão de uma beleza que me rasga a razão e me embaraça o coração, me tira a calma e me enche a imaginação. Não posso olhar para ti, não tenho essa sorte, a tua beleza leva-me ao pecado, mas a essência leva-me à paixão e a uma realização da nossa união. O sussurrar do coração, o instinto talento das emoções, a compreensão da vida e dos interesses do Humano, o teu toque imprescindível a tua paz que alivia a alma, e faz florir cada canto do nosso mundo, no espalhar da tua presença. Gostava de viver, deixar bater o coração no compasso da paixão, receber os teus beijos de sal sob o sol nascente da nova aurora e tocar no jardim do Eden quando os teus serenos lábios nos meus se perderem. O tempo é o nosso aliado e será a testemunha da doçura, carinho, intelecção e ventura envolta na ciência do pulsar ardente dos nossos corpos, luz da neblina sedução, alegria e emoção.
A eterna questão da tomada de decisões é sempre uma sombra que nos persegue em muitos momentos da nossa vida. Ter a capacidade para arriscar, para abdicar do certo pelo o incerto, deixar de utilizar vírgulas e colocar um ponto final é muitas vezes difícil, porque o medo, a insegurança, a incerteza são sentimentos complicados de enfrentar.
Contudo, devemos sempre acreditar, quando nada nos faz duvidar...

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Parar o Tempo...


Com o tempo podemos observar o brilho das estrelas na grande imensidão do céu. Com o tempo conquistamos novas amizades, novas confianças, novos confidentes, com o tempo descobrimos que tudo na vida é uma questão de tempo.
Em alguns momentos apeteceu-me assassinar o tempo, esse tempo que te roubou de mim, quando eu te queria perto, bem junto a mim. Gostava de poder parar o relógio quando o meu corpo implora o teu corpo junto ao meu, quando os meus lábios pedem os teus beijos incessantemente. Queria aniquilar esse tempo que te roubou dos meus braços e te levou para bem longe daqui, queria arrebatá-lo para que não sufoca-se mais os meus sentimentos, para poder olhar-te nos olhos e descobrir cada silencio que escondes por detrás do teu, lindo, sorriso. Queria matar o tempo para esquecer este medo que me atormenta de que te esqueças de mim e me deixes só. Queria matar o tempo para que a paixão e a realização andassem de mãos dadas, pois, sem ambas, a felicidade é apenas temporária, porque não há nada que a faça durar.
Queria aniquilar o tempo, quando pela primeira vez contemplamos juntos a noite, onde a lua se mostrou, envergonhada, por entre as nuvens, nunca a lua me pareceu tão bela, nem o mundo um local pródigo em promessas, nesse momento fui invadida por uma força inequívoca de uma nascente inesgotável. Mas a realidade não tardou a impor-se precipitando uma vaga de acontecimentos que me colocaram numa encruzilhada de vida brutal. Contudo, por mais dolorosa que seja, a escolha certa torna-se sempre nítida quando é um amor genuíno que nos inspira , quando sabemos o que significa amar verdadeiramente alguém...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Sonho, apenas um sonho...


Hoje acordei de um sonho!
Um sonho em que o meu corpo e o teu eram apenas um só, em que o meu coração e o teu eram apenas um só coração e amávamos o mesmo amor. O nosso Amor!
No sonho estavas ao meu lado numa noite escura de Inverno, junto ao mar, com as estrelas como tecto vislumbramos as luzinhas bem ao fundo no horizonte, cenário perfeito, pintado só para nós. Por segundos imaginei os barcos a balançarem ao sabor do vento, a minha mente traçou toda a labuta que se estaria a viver naquela escuridão da noite...Senti o capricho do luar no coração, beijei a lua com os olhos, uma frase soltou-se, um adeus que perdura e perdurará na memória para sempre. Foram muitas as emoções que me invadiram a alma...Vislumbrei o paraíso no teu sorriso, emoções de desejo que despertaram sensações após um beijo, um beijo suave, calmo que me fez perder no tempo, o mar dos teus olhos enlouqueceram-me, a tua respiração ofegante, aquela em que o corpo tenta controlar o desejo de se entregar aumentava a cada segundo. Nesse instante o tempo parou, nada mais importava senão o meu sentir, o teu sentir, o nosso sentir! Desejei que aquele momento eterniza-se para sempre as nossas vidas. No instante seguinte os corpos entrelaçaram-se, os braços envolveram-se num abraço profundo....
Naquele momento descobri que a noite tem outro sentido, os ponteiros do relógio ganham velocidade, porém, nada me afastou de viver intensamente o momento, o nosso momento!
Hoje, acordei de um sonho Simples, sem a tua essência, o doce do teu sorriso, o veludo do teu olhar. Hoje estou aqui, amanha não sei onde irei, pois assim como as borboletas buscam o néctar, eu procuro a essência da vida, perder o Tempo, os sonhos, a lua, perder o que encontrei em mim, em ti...Leva-me aonde o sonho espera por nós...
De facto, o valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparaveis. Hoje estou feliz, estou feliz, simplesmente, porque existo...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Homenagem ao AMOR


O AMOR é o mundo, o verdadeiro sentido para a vida, ninguém vive sem AMOR!
Viver sem AMOR é viver despido de sonhos, de esperanças, de fraquesas, é viver no vazio, na escoridão na frieza do degelo dos mares mais gelados do universo.
Contudo, não confundir o AMOR com a paixão dos primeiros momentos é imperativo. O verdadeiro carinho cresce na medida em que os dois Seres estão mais unidos, porque partilham mais um do outro. Mas para partilhar é fundamental DAR. DAR é a chave do AMOR. Amar significa, sempre, entrega, dar-se ao outro, sem querer nada em troca, porque se ambos se amarem, ambos se entregaram sem pedidos, sem reservas. Amar em todos os sentidos nunca é um sacrifício, é preciso passar por altos e baixos, por perdoar uma vez e outra vez. Amar é dizer SIM no fundo do próprio Ser!
Amar é respeitar!
Amar é sacrificar-se!
Amar é perdoar sem reservas!
Amar é sentir a felicidade do outro!
Amar é sonhar!
Amar é desejar sem cobrar!
Amar é resistir a todas as intempéris!
Amar é o verdadeiro sentido da vida, AMAR no verdadeiro sentido da palavra é uma dádiva dos céus. O AMOR puro o verdadeiro é como uma brisa que inala no nosso Ser, é como um vale repleto de flores onde o silencio só é quebrado pelo chilrear dos passarinhos, é sentir a paz na sua plenitude é sentir o sentir do outro.
AMAR é tudo isto e muito mais, neste momento estamos perto de celebrar mais um Dia dos namorados, porém, eu considero que o Dia dos namorados deveriam ser TODOS os dias do ano, porque todos os dias devemos amar, respeitar, cuidar da pessoa amada, sem reservas. Todos os dias podemos jantar à luz das velas e não só um dia em 365 dias, porque não existe datas para oferecer prendas, ou, simplesmente, um sorriso, uma flor. Porque não amamos só num dia, porque não existe dia, hora ou momento para sentir o amor, ele chega quando menos esperamos, sem avisar, sem perguntar se estamos prontos para o receber, o amor é, assim, um sentimento imprivisivel, imensamente belo, intensamente sentido, delicado como uma flor, poderoso como um diamante, o maior e mais valioso diamante que existe neste mundo complexo. Amar é viver o amor no presente, na esperança do futuro, porém, esse amanha que tanto ansiamos pode ser consumido por uma simples nuvem que nos leva para o infinto do tempo, do espaço, porque o tempo se esgota embora o amor viva sempre...

domingo, 17 de janeiro de 2010

Vida à procura de vida para a vida

Caminhos essenciais...
Ao longo da vida vamos andando por trilhos, trilhos de serenidade, trilhos de sarilhos, trilhos iluminados e até trilhos enevoados. Mas de todos eles tiramos ilações, de todos criamos ponderações, são caminhos úteis ao nosso viver. São esses caminhos que nos fazem encontrar o nosso verdadeiro ser.
Na vida encontramos os caminhos do amor, da paz, da amizade em busca de realização em busca constante da felicidade. Percorremos caminhos direitos, caminhos sinuosos, caminhos certos, caminhos duvidosos, contudo, todos nos dão forças para lutar, lutar contra o tempo, lutar contra a imperfeição, lutar pelo momento. Uma batalha que queremos vencer, um gládio de emoção, no qual entramos não só com a razão, mas também com o coração.
Continuamos o trilho, uma direcção na procura de algo, na procura da fascinação que nos aquece o coração...

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Balada da Neve


Nestes dias em que a neve se faz surgir em muitos pontos do país, recordei uma balada fabulosa que me acompanha desde a minha infância.




Batem leve, levemente,
Como quem chama por mim.
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim.



É talvez a ventania:
Mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia,
nos pinheiros do caminho...


Quem bate assim, levemente,,
Com tão grande leveza,
Que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, não é gente,
nem vento com certeza.


Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
Há tanto tempo a não via!
E que saudades, Deus meu!


Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente, quando passa,
os passos imprime a traça
na brancura do caminho...


Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
duz pezinhos de criança...


E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem defenidos,
depois, em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!...


Que quem já é pescador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!
Porque padecem assim?!...



E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na Natureza
e cai no meu coração.

(Augusto Gil)

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Pessoas singulares


Actualmente, vivemos uma crise de valores sem precedentes, valores éticos, morais e até religiosos aos poucos estão a ser banidos da nossa sociedade. Talvez este fenómeno esteja a ser mais evidenciado pela questão da globalização, ou simplesmente porque é bastante trabalhoso cultivar e preservar o que para mim é fundamental para se ser um ser humano. Nós seres mortais não somos só detentores de um corpo que podemos manipular, alterar por questões de saúde, ou tão simplesmente, por pura presunção, nós somos detentores de uma alma de um coração, não o órgão em si, porque esse só se limita a bater, bater, bater para nos manter vivos. O coração é muito mais do que isso, assim como a nossa alma que é algo invisível, muito menos palpável, mas é a nossa maior riqueza. Nesta sociedade onde vivemos actualmente, regularmente, descubro o destaque de alguns seres, não pela sua beleza exterior, facilmente conseguida, mas pela beleza da sua alma.

Não tenho dúvidas de que esta crise de valores dá a oportunidade para que muitos de nós nos destaquemos, pelo que somos verdadeiramente, pelo nosso papel na sociedade, pelos valores que conservamos, pelos sonhos por que lutamos. Enfim, por tudo o que de mais belo, maravilhoso e único existe em nós e que nos possibilita sermos pessoas singulares e diferenciadas, pessoas puras e verdadeiras na sua essência, pessoas ricas em luz e paz, e que saibamos enrriquecer o universo se forma gratuita e natural. Porque para mim esse é o verdadeiro sentido da vida, é para isso que nós somos concebidos e se nós somos concebidos por uma acto de amor, é o amor que deve premanecer em nós em todas as vertentes, em todos os sentidos. Amar o desconhecido, porque não? Um desconhecido pode ser um amigo que não conhecemos, sermos generosos, atenciosos, genties, cordiais com gestos de ternura e doçura, sim de doçura, porque um sorriso pode ser doce, porque um, simples, olhar pode ser generoso, gestos simples que por vezes fazem toda a diferença em muitos momentos da nossa vida.
Neste ano que está agora a começar gostava que todos nós trabalhassemos arduamente para construirmos um mundo melhor, se cada um fizer um pouco, esse pouco pode ser muito e isso faz toda a diferença:)